Como comprar livros usados

Livro novo e livro usado
Considera-se como "usado" todo exemplar que já foi manipulado por um leitor.
Como "novo" aquele exemplar adquirido diretamente da Editora.


Exemplar "em estado de novo"
Todo exemplar usado com pouco ou nenhum sinal de manuseio.
É o caso também do exemplar novo que tem algum problema de conservação, geralmente pelo simples manuseio, ou - o mais comum - com amarelamento muito suave do papel.


Termos usados na descrição dos exemplares:

Ano:
Muitos exemplares não trazem essa informação e estão datados após pesquisa em catálogos, ou cadastrados sem a determinação do ano de edição. Em caso de dúvidas, não hesite em entrar em contato. Muitas vezes é possível identificar de qual período é a edição ou a reimpressão e dirimir dúvidas.
Procuramos cadastrar todos os exemplares com a indicação da edição (1a., 2a., etc) quando essa informação é relevante, como é o caso dos livros raros e dos livros técnicos.

Folha de guarda: é a primeira folha em branco e a última presente em muitos livros.
Folha ou página de rosto: é a página seguinte a folha de guarda em que normalmente estão impressos apenas o nome do autor, da editora e o título do livro.
Falsa folha ou falsa página de rosto: a folha de rosto, mas tendo impresso apenas o título da obra.
Lombada: o dorso do livro, onde as folhas e as capas são unidas.
Cortes: as laterais do livro
Bordas das páginas: toda a área não impressa entre o texto (ou imagens) da página e o corte.

Termos usados para identificar problemas de conservação:

Amarelamento: o amarelamento do papel depende de vários fatores. A qualidade do papel, o clima em que foi conservado (climas úmidos são inimigos do papel) e a forma como o livro foi manipulado influem no amarelamento. Procuramos descrever o quanto o papel está amarelado, nesta escala:
Suave, discreto, pronunciado, e acidificado, quando o papel está amarelado e sente-se que está áspero. Essa condição é comum em livros de baixo preço original impressos em papel de menor custo, ou que foram expostos a condições ruins de conservação. Procuramos manter em acervo apenas os exemplares nesse estado difíceis de encontrar ou com valor histórico - primeiras edições, jornais, etc.

Rasura: qualquer interferência dos antigos donos que interfiram no conteúdo, como rabiscos sobre o texto ou imagens, ou dano por conservação que interfira no conteúdo.
Grifos, anotações e dedicatórias: estas são as marcas do tempo que tornam o livro usado mais interessante e especial. Através dos grifos e anotações, podemos identificar o raciocínio, os interesses do antigo dono. Muitos livros anotados - especialmente os de Filosofia e Ciências Humanas - acabam tendo o conteúdo sensivelmente melhorado com anotações que remetem a ideias, lembranças de outros livros e autores. Finalmente, as anotações, que muitas vezes nada tem a ver com o livro - encontram-se listas de compras, cálculos, desenhos, etc... - são o registro definitivo de que, antes de nós, outro ser humano buscou perguntas e respostas naquelas folhas de papel entintadas e encadernadas. E as dedicatórias atestam por toda a vida daquele livro uma relação de amor e amizade entre pessoas.
Para emocionar-se e deliciar-se com dedicatórias, recomendamos visitar o
Eu te dedico, site que coleciona dedicatórias em livros e tenta contar cada uma das histórias por detrás delas.